FAQ

FAQ

Como posso contatar a área de Relações com Investidores?

Aegea Saneamento e Participações S.A.

Av. Brigadeiro Faria Lima, nº 1.663 – 1º andar

CEP 01452-001 – Jardim Paulistano – São Paulo/SP

Fax. (11) 3818-8150
Relações com Investidores
E-mail: ri@aegea.com.br

Como e onde a AEGEA divulga suas informações?

Todos os fatos relevantes, anúncios de resultado e demais comunicados ao mercado da AEGEA são divulgados na área de relações com investidores do website da Companhia (http://www.aegea.com.br), além de posteriormente encaminhados por correio eletrônico às pessoas que se cadastram para receber tais informações. Informamos que nas Reuniões Públicas com o Mercado são divulgados também os relatórios de resultados trimestrais e anuais.

Outras informações sobre a Companhia também podem ser obtidas diretamente com o Departamento de RI através do fone (11) 3818-8150.

Quais são os impactos econômicos e sociais gerados pelo desinvestimento no setor de Saneamento no Brasil?
  • Por ano, 217 mil trabalhadores precisam se afastar de suas atividades devido a problemas gastrointestinais ligados a falta de saneamento. A cada afastamento perdem-se 17 horas de trabalho.
  • A probabilidade de uma pessoa com acesso a rede de esgoto faltar as suas atividades normais por diarréia é 19,2% menor que uma pessoa que não tem acesso à rede.
  • Considerando o valor médio da hora de trabalho no País de R$ 5,70 e apenas os afastamentos provocados apenas pela falta de saneamento básico, os custos chegam a R$ 238 milhões por ano em horas-pagas e não trabalhadas.
  • De acordo com o DATASUS, em 2009, dos 462 mil pacientes internados por infecções gastrointestinais, 2.101 faleceram no hospital.
  • Cada internação custa, em média R$ 350,00. Com o acesso universal ao saneamento, haveria uma redução de 25% no número de internações e de 65% na mortalidade, ou seja, 1.277 vidas seriam salvas.

Fonte: Pesquisa Benefícios Econômicos da Expansão do Saneamento Brasileiro – Instituto Trata Brasil/FGV, 2010.

  • A diferença de aproveitamento escolar entre crianças que têm e não têm acesso ao saneamento básico é de 18%;
  • 11% das faltas do trabalhador estão relacionadas a problemas causados por esse mesmo problema;
  • Apesar do relevante aumento de arrecadação e renda resultantes de maior fluxo de pessoas em 20 destinos turísticos indicados pela Embratur, essas localidades acusam ainda um sub-investimento das necessidades básicas;
  • As 81 maiores cidades do país, com mais de 300 mil habitantes, despejam, diariamente, 5,9 bilhões de litros de esgoto sem tratamento algum, contaminando solos, rios, mananciais e praias do país, com impactos diretos a saúde da população.

Fonte: Pesquisa Saneamento, Educação, Trabalho e Turismo – Instituto Trata Brasil/FGV, 2008.

Por que investir em Saneamento no Brasil?
  • Cada 1 milhão investido em obras de esgoto sanitário gera 30 empregos diretos e 20 indiretos, além dos permanentes quando o sistema entra em operação. Com o investimento de R$ 11 bilhões por ano reivindicado pelo setor de saneamento, calcula-se que sejam gerados 550 mil novos empregos no mesmo período;
  • Ao ter acesso à rede de esgoto, um trabalhador aumenta a sua produtividade em 13,3%, permitindo assim o crescimento de sua renda na mesma proporção.
  • Com a universalização do acesso à rede de esgoto, a estimativa é que a massa de salários, que hoje gira em torno de R$ 1,1 trilhão, se eleve em 3,8%, provocando um aumento na renda de R$ 41,5 bilhões por ano.
  • A universalização do acesso a rede de esgoto pode ainda proporcionar uma valorização média de até 18% no valor dos imóveis.
  • A valorização dos imóveis pode alcançar R$ 74 bilhões, valor 49% maior que o custo das obras de saneamento avaliado em R$ 49,8 bilhões (considerando apenas novas ligações).
  • Em longo prazo, o acesso à rede de esgoto implicaria um aumento na arrecadação do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) na mesma proporção do valor médio dos imóveis, um ganho estimado de R$ 385 milhões ao ano. Já no Imposto Sobre Transferência de Bens de Imóveis (ITBI) o crescimento esperado é superior a R$ 80 milhões por ano.

A importância da universalização dos serviços de saneamento ultrapassa a questão do fornecimento e representa impacto direto na economia, na saúde pública e na administração dos recursos naturais. Devido à sua influência sobre a saúde da população, tem papel essencial na formulação de políticas públicas de prevenção para o setor.

Redução de Consultas por Doença – Campo Grande (*)

Doença 2005 2009 %
Febre Tifolde 29 20 -31%
Outras Infecções por Salmonela 31 24 -23%
Shigelose 142 49 -65%
Outras Infecções Bacterianas 207 91 -56%
Intoxicações Alimentares Bacterianas 396 151 -37%
Amebiases 835 433 -48%
Infecções Intestinais por Protozoários 558 171 -69%
Infecções Intestinais 7.420 5.313 -28%
Diarreias 32.592 24.258 -26%
Ancistolamiase 356 167 -53%
Ascaridíase 338 107 -68%
Tricuríase 4 2 -50%
Oxiuríase 977 650 -33%
Outros Helmitos 95 58 -59%
Parasitose Intestinal não Identificada 14.200 6.881 -52%
Média 45%
Redução das Doenças Totais 58.180 38.475 -34%

(*) Fonte: Secretaria Municipal de Saúde, Prefeitura de Campo Grande

Fonte: Pesquisa Benefícios Econômicos da Expansão do Saneamento Brasileiro – Instituto Trata Brasil/FGV, 2010.

voltar

topo